domingo, 11 de dezembro de 2011

De passagem

O mais difícil é sonhar que a gente está lá. No sonho, ver quem a gente ama ainda é apenas uma questão de sair de casa e circular pelas ruas de sempre, de fazer um telefonema, de enfrentar o engarrafamento. Mas as ruas de sempre aos poucos se tornam outras, os telefonemas viram interurbanos e os engarrafamentos, passagens compradas na promoção. Como nós, outros também estão partindo, seja para outras cidades, outros países ou outras rotinas. E a realidade do sonho, das nossas lembranças, talvez não fique lá por muito tempo. A nossa partida já a modificou, de certa forma. 

Cruzar o Atlântico de avião talvez seja a nossa chance de reverter essas transformações. Quando todos nós convergimos para o mesmo lugar, independente do quão diferente está a vida de cada um, voltamos à realidade do sonho.

Posted via email from Notas partilhadas